Arquivo da tag: Cannes

Cannes – Seleção Oficial

Filme de Abertura

Ridley SCOTT ROBIN HOOD H.C. 2h11

Competição

Mathieu AMALRIC TOURNÉE 1h51
Xavier BEAUVOIS DES HOMMES ET DES DIEUX 2h00
Rachid BOUCHAREB HORS LA LOI 2h11
Alejandro GONZÁLEZ IÑÁRRITU BIUTIFUL 2h18
Mahamat-Saleh HAROUN UN HOMME QUI CRIE 1h40
IM Sangsoo HOUSEMAID 1h46
Abbas KIAROSTAMI COPIE CONFORME 1h46
Takeshi KITANO OUTRAGE 2h00
LEE Chang-dong POETRY 2h15
Mike LEIGH ANOTHER YEAR 2h09
Doug LIMAN FAIR GAME 1h44
Sergei LOZNITSA YOU. MY JOY 1h50
Daniele LUCHETTI LA NOSTRA VITA 1h33
Nikita MIKHALKOV UTOMLYONNYE SOLNTSEM 2 2h21
Bertrand TAVERNIER LA PRINCESSE DE MONTPENSIER 2h15
Apichatpong WEERASETHAKUL LOONG BOONMEE RALEUK CHAAT 1h30

Un Certain Regard

Derek CIANFRANCE BLUE VALENTINE 1er film 1h34
Manoel DE OLIVEIRA O ESTRANHO CASO DE ANGÉLICA (Angelica) 1h34
Xavier DOLAN LES AMOURS IMAGINAIRES 1h35
Ivan FUND, Santiago LOZA LOS LABIOS 1h40
Fabrice GOBERT SIMON WERNER A DISPARU… 1er film 1h27
Jean-Luc GODARD FILM SOCIALISME 1h41
Christoph HOCHHÄUSLER UNTER DIR DIE STADT (The City Below) 1h45
Lodge KERRIGAN REBECCA H. (RETURN TO THE DOGS) 1h15
Ágnes KOCSIS PÁL ADRIENN (Adrienn Pál) 2h16
Vikramaditya MOTWANE UDAAN 1er film 2h18
Radu MUNTEAN MARTI, DUPA CRACIUN (Mardi, après Noël) 1h39
Hideo NAKATA CHATROOM 1h37
Cristi PUIU AURORA (Aurore) 2h59
HONG Sangsoo HA HA HA 1h56
Oliver SCHMITZ LIFE ABOVE ALL (La Vie avant tout) 1h40
Daniel VEGA OCTUBRE (Octobre) 1er film 1h23
David VERBEEK R U THERE 1h27
Xiaoshuai WANG RIZHAO CHONGQING (Chongqing Blues) 1h45

Fora da Competição

Woody ALLEN YOU WILL MEET A TALL DARK STRANGER 1h38
Stephen FREARS TAMARA DREWE 1h49
Oliver STONE WALL STREET – MONEY NEVER SLEEPS (Wall Street – l’argent ne dort jamais) 2h16
Séances de minuit :
Gregg ARAKI KABOOM 1h28
Gilles MARCHAND L’AUTRE MONDE 1h40
Séances spéciales :
Charles FERGUSON INSIDE JOB 2h00
Sophie FIENNES OVER YOUR CITIES GRASS WILL GROW 1h40
Patricio GUZMAN NOSTALGIA DE LA LUZ (Nostalgie de la lumière) 1h30
Sabina GUZZANTI DRAQUILA – L’ITALIA CHE TREMA 1h30
Otar IOSSELIANI CHANTRAPAS 2h05
Diego LUNA ABEL 1er film 1h20

Competição das mais desinteressantes que eu me lembro. Pelo numero de titulos devem anunciar mais uns 3 filmes, mas a impressão não é das mais promissoras.

Primeiro filme em competição de KIarostami desde O Vento nos Levará (não só em Cannes).

O processo de reabilitar a Un Certain Regard parece completo, mas como Fremaux não tem culhões para selecionar um numero suficiente de filmes interessantes veio ao custo de uma piora sensivel da seção principal.

Godard parece que optou pela Un Certain Regard, mas dado o desinteresse da selrção principal duro entender porque Puiu ou Hong estão aqui (vai ver Doug Liman era importante demais).

Agora aguardar pelo mais importante (a Quinzena).

8 Comentários

Arquivado em Programação

Blog e Links

Desculpem o sumiço, mas me enrolei nos ultimos dias entre preparativos para viagem, doença na família e terminar um texto (que eu espero linkar em breve). Vou visitar meus pais em Cuiabá e não sei como vai ser meu acesso a Internet nos próximos dez dias (mas terei muito tempo livre paraescrever então mesmo que o intervalo entre as postagens for longo tem chances de eu produzir bastante), tentarei escrever sobre os dois filmes da Bigelow que faltam até amanhã, mas não sei se dará tempo.

Aproveitando, o Bruno Amato me apontou que a Cinema Scope está com sua edição de Cannes no ar. Como sempre muitos artigos interessantes e o sempre impagável ensaio do Mark Peranson sobre o estado deplorável da competição. A arte de ser do contra é uma que Mark domina como ninguém. A esta altura ele já reescreveu este artigo tantas vezes que é quase uma performance escrita (minha tese é que ele quer ver até que ponto pode insultar o Fremaux sem ter a credencial revocada), mas sempre é mais do que simples agressividade. O festival da Cinema Scope como sempre é alternativo, os filmes cobertos com destaque são Resnais, Bellochio, Suleiman, João Pedro Rodrigues, Corneliu Porumboiu, Raya Martin, etc. 

A Film Comment também está com sua “edição de Cannes” no ar. É uma pena que um dos efeitos do Kent Jones largar o Lincoln Center é que este ano não tem o artigo tradicional dele do festival, mas para compensar a revista disponibilizou uma parte mais ampla da cobertura. Nunca entendo os critérios do site da FC a revista inclui um artigo do Quintin sobre “file sharing”, mas não está disponível online quando seria um dos textos mais óbvios da edição para o site.

Deixe um comentário

Arquivado em Links, Observações

No Meu Lugar

Aproveitando para completar a relação de Cannes, o primeiro longa do Eduardo Valente No Meu Lugar foi anunciado hoje como exibição especial fora de competição.

3 Comentários

Arquivado em Filmes

Quinzena

“Tetro”, Francis Ford Coppola(filme de abertura)
“Ajami”, Scandar Copti and Yaron Shani(filme de encerramento)
“Amreeka”, Cherien Dabis
“Les Beaux gosses”, Riad Sattouf
“Carcasses”, Denis Cote
“Daniel y Ana”, Michel Franco
“Eastern Plays”, Kamen Kalev
“La Famille Wolberg”, Axelle Ropert
“Go Get Some Rosemary”, Benny et Josh Safdie
“De Helaasheid der dingen”, Felix Van Groeningen
“Here”, Tzu-Nyen Ho
“Humpday”, Lynn Shelton
“I Love You Philip Morris”, Glenn Ficarra and John Requa
“J’ai tue ma mere”, Xavier Dolan
“Like You Know It All”, Hong Sang-Soo
“Ne change rien”, Pedro Costa
“La Pivellina”, Tizza Covi et Rainer Frimmel
“Polytechnique”, Denis Villeneuve
“Le Roi de l’evasion”, Alain Guiraudie
“La Terre de la folie”, Luc Moullet
“Yuki & Nina”, Nobuhiro Suwa and Hippolyte Girardot

— Hong Sang-Soo, Pedro Costa, Luc Moullet, Nobuhiro Suwa, Alain Guiraudie e ainda de troco Coppola.

10 Comentários

Arquivado em Observações

Cannes

Filme de Abertura
Up, Pete Docter, Bob Peterson

Competição
Los abrazos rotos (Broken Embraces), Pedro Almodóvar
Map of the Sounds of Tokyo, Isabel Coixet
Das weisse Band (The White Ribbon), Michael Haneke
Vincere, Marco Bellocchio
Antichrist, Lars Von Trier
Looking for Eric, Ken Loach
Bright Star, Jane Campion
Fish Tank, Andrea Arnold
Faces, Tsai Ming-liang,
Vengeance, Johnny To
Un prophète (A Prophet), Jacques Audiard
À l’origine (In the Beginning), Xavier Giannoli
Les herbes folles (Wild Reeds), Alain Resnais
Soudain le vide, Gaspar Noé
The Time that Remains, Elia Suleiman
Bakjwi (Thirst), Park Chan-wook
Spring Fever, Lou Ye
Kinatay, Brillante Mendoza
Inglorious Basterds, Quentin Tarantino
Taking Woodstock, Ang Lee

Filme de Encerramento
Coco Chanel & Igor Stravinsky, Jan Kounen

Fora da Competição
The Imaginarium of Doctor Parnassus, Terry Gilliam
Agora, Alejandro Amenabar
L’armée du crime (The Army of Crime), Robert Guédiguian

Exibições Especiais
My Neighbor, My Killer, Anne Aghion
Manila, Adolfo Alix e Raya Martin
Min Ye, Souleymane Cissé
L’Epine dans le Coeur, Michel Gondry
Petition, Zhao Liang
Kalat Hayam, Karen Yedaya

Midnight Screenings
Drag me to Hell, Sam Raimi
Panique au village (A Town Called Panic), Stéphane Aubier, Vincent Patar
Ne te retourne pas (Don’t Look Back), Marina De Van

Un certain regard
Mother, Bong Joon Ho
Irene, Alain Cavalier
Precious, Lee Daniels
Demain Des L’aube (Tomorrow from Dawn), Denis Dercourt
À Deriva (Adrift), Heitor Dhalia
Kasi Az Gorbehaye Irani Khabar Nadareh (Nobody Knows About The Persian Cats), Bahman Ghobadi
Los Viajes Del Viento (The Travels of the Wind), Ciro Guerra
Le Père De Mes Enfants (The Father of My Children), Mia Hansen-Love
Amintiri Din Epoca De Aur (Tales From The Golden Age), Hanno Höfer, Razvan Marculescu, Cristian Mungiu, Constantin Popescu, Ioana Uricaru
Skazka Pro Temnotu (Tale In The Darkness), Nikolay Khomeriki
Kuki Ningyo (Air Doll), Hirokazu Kore-Eda
Kynodontas (Dogtooth), Yorgos Lanthimos
Tzar (The Czar), Pavel Lounguine
Independencia (Independence), Raya Martin
Politist, Adjectiv (Police, Adjective), Corneliu Porumboiu
Nang Mai (Nymph), Pen-Ek Ratanaruang
Morrer Como Um Homem (Die Like a Man), João Pedro Rodrigues
Eyes Wide Open, Haim Tabakman
Samson And Delilah, Warwick Thornton
Wit Licht (The Silent Army), Jean van de Velde

Observações
— Não dá para levar a sério festival com Park Chan Wook na compeição e Bong Joon-Ho na mostra paralela
— De qualquer forma entre To, Tsai, Belocchio e Resnais tem quatro possiveis obras-primas na competição alem de alguns cineastas muito bons (Audiard, Mendoza, Tarantino, Lee, etc.), mas não é uma grande seleção.
— Mas o Un Certain Regard está bem melhor que a média com Raya Martin, João Pedro Rodrigues, Alan Cavalier e Bong. Ano passado Tokyo Sonata era melhor do que toda a competição, este ano se Independencia ou Mother repetiram o feito não será grande surpresa.
— Quem diria que o Heithor Dhalia depois de Nina chegaria um dia a Cannes?
— Assustador é a duração média dos filmes desta edição, o unico francês na competição de menos de 150 minutos é o Resnais!
— Agora falta o mais importante que é a Quinzena sair.

6 Comentários

Arquivado em Observações