Quinzena

“Tetro”, Francis Ford Coppola(filme de abertura)
“Ajami”, Scandar Copti and Yaron Shani(filme de encerramento)
“Amreeka”, Cherien Dabis
“Les Beaux gosses”, Riad Sattouf
“Carcasses”, Denis Cote
“Daniel y Ana”, Michel Franco
“Eastern Plays”, Kamen Kalev
“La Famille Wolberg”, Axelle Ropert
“Go Get Some Rosemary”, Benny et Josh Safdie
“De Helaasheid der dingen”, Felix Van Groeningen
“Here”, Tzu-Nyen Ho
“Humpday”, Lynn Shelton
“I Love You Philip Morris”, Glenn Ficarra and John Requa
“J’ai tue ma mere”, Xavier Dolan
“Like You Know It All”, Hong Sang-Soo
“Ne change rien”, Pedro Costa
“La Pivellina”, Tizza Covi et Rainer Frimmel
“Polytechnique”, Denis Villeneuve
“Le Roi de l’evasion”, Alain Guiraudie
“La Terre de la folie”, Luc Moullet
“Yuki & Nina”, Nobuhiro Suwa and Hippolyte Girardot

— Hong Sang-Soo, Pedro Costa, Luc Moullet, Nobuhiro Suwa, Alain Guiraudie e ainda de troco Coppola.

10 Comentários

Arquivado em Observações

10 Respostas para “Quinzena

  1. Leandro Caraça

    Achava que o Coppola tinha se recusado a exibir TETRO porque não colocaram o filme na competição.

  2. e aí fica claro que Denis e Rivette não terminaram mesmo os filmes, ou que no máximo acharam melhor levar pra Veneza.

  3. Peerre

    Hong Sang-Soo, Coppola, Pedro Costa, Moullet na Quinzeta e GASPAR NOE na competição principal? Selecionaram bem esse ano!

  4. Filipe Furtado

    Leandro, Coppola disse em entrevistas que a opção pela Quinzena foi dele porque o perfil do filme combinava mais com uma mostra independente do que com a competição.

  5. Filipe Furtado

    Por isso Eduardo que eu disse que só julgaria depois de ter certeza.

  6. “De troco” é sacanagem. O sujeito toca o terror no mundo do cinema com meia-dúzia de filmes, quase morre filmando, abre um estúdio, vai à falência, faz mais alguns filmes desvairados, larga o cinema, vira vinicultor, depois volta a filmar… E depois de trinta anos passa a ser considerado “troco” de um bando de iniciantes e um francês maluco que escreve textos estranhos e faz filmes mais estranhos ainda. Definitivamente, essa juventude não respeita os mais velhos mesmo.

  7. Tiago Superoito

    Gaspar Noe dá mais publicidade que esses todos, Peerre. E é só dar uma olhada na lista da mostra competitiva pra ver que esse é o objetivo principal do festival.

  8. Daniel Pereira

    “Hong Sang-Soo, Pedro Costa, Luc Moullet, Nobuhiro Suwa, Alain Guiraudie e ainda de troco Coppola.” Estou longe de conhecer todos os filmes de todos estes nomes mais marcantes do cinema “que nos interessa”. De alguns destes nunca vi nada. Mas importa talvez pensar sobre esta Quinzena, que representa o sumo do cinema contemporâneo para entendidos. Ou como esta sub-camada, escondida pelos The Dark Knights desta vida, esconde, ela própria, as sub-camadas seguintes. Não fazia mal haver menos, muito menos, entusiasmo com Cannes.

  9. Filipe Furtado

    Daniel, o troco é tanto uma referencia ao Coppola não ser um favorito meu (fora o Do Fundo do Coração e o Chefão 3) como a propria presença/existencia do filme ali nesta seleção. Toda vez que vejo o Coppola falar sobre estes filmes novos dele fico com a impressão de que ele próprio os encara como algo a parte de tudo que veio antes, um adendo mesmo (e não digo isso no mau sentido, apesar de em termos de veterano maluco em nova fase abrido a quinzena, o Skolimowski ano passado me anima muito mais.

  10. Filipe Furtado

    Daniel, eu me esforço para manter meu entusiasmo sobre Cannes sob controle, mas quando Hong Sang-soo, Pedro Costa e Luc Moullet estão exibindo filmes novos dificil não se entusiasmar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s