Arquivo da tag: Kiyoshi Kurosawa

Seventh Code (Kiyoshi Kurosawa, 2013)

seventh code

Um dos mais simples, aparentemente pouco ambiciosos e melhores filmes de Kiyoshi Kurosawa. Tem somente uma hora, mas cobre tanto espaço e sugere tantas possibilidades que parece bem maior. A experiência de cineasta de horror de Kurosawa é visível na facilidade com que o filme usa sua aparente normalidade como algo que esta sempre prestes a se desfazer. O relativo naturalismo assombrado com a possibilidade de ser tirado dos eixos. Um thriller de conspiração a partir de uma comédia romântica asiática. É um filme sobre os prazeres do contar uma história, previsto sempre na antecipação, nossos desejos e expectativas. O uso de uma não atriz (a cantora de J Pop Atsuko Maeda) e a ênfase constante na ideia de personas e atuação (o filme literalmente quebra a quarta parede no seu final) e clima conspiratório sugerem Jacques Rivette, particularmente o de meados dos anos 70, revisto sem o mesmo peso. “Não confie em qualquer um”, a protagonista ouve em duas ocasiões, e o filme é todo construído sobre a ideia da confiança entre espectador e o filme, até que ponto ela pode ser estendida e as possibilidades da imaginação em preencher este espaço.

2 Comentários

Arquivado em Filmes

Mostra Dias 4 a 7

Sonata de Tóquio (Kiyoshi Kurosawa,08) – *****

Primeira das muitas revisões desta semana e se confirma como um dos grandes filmes do ano.

A Fronteira da Alvorada (Phillipe Garrel,08) – *****

Devo escrever mais sobre na Paisà quando o filme for lançado mês que vem, mas faz uma bela dupla com O Canto dos Pássaros, dois filmes que fazem a busca por uma imagem essencial que parece ter estado sempre ali tão simples.

Acne (Federico Velloj,08) – ****

Filme uruguaio muito bom sobre um moleque de 13 anos tentando conseguir um primeiro beijo. Das boas surpresas da Mostra até aqui, simples, mas muito bem observado.

Depois da Escola (Antonio Campos,08) – *

Amanhã na Paisà.

Aquele Querido Mês de Agosto (Miguel Gomes,08) – *****

Ainda maior na revisão. Incrivel como cada sequencia da parte “documental” é retomada de alguma forma na parte de “ficção”.

Fronteira (Rafael Conde,08) – ***

Conde tira um peso histórico das suas imagens muito marcante, apesar de eu não e interessar muito pela dramaturgia que ele esta construindo.

Horas de Verão (Olivier Assayas,08) – *****

Cresce na revisão, apesar de eu não ter certeza se é mesmo um filme maior (apesar de eu desconfiar que isto tenha algo a ver com o filme entre muitas outras coisas seja um filme de Assayas para quem não gosta de Assayas).

Lições Particulares (Joachim Lafosse,08) – ***

Até amanhã na paisà. Curioso que faz um bom contraponto ao Afterschool.

Deixe Ela Entrar (Tomas Alfredson,07) – ****

Belo terror/romance sobre horrores de se ter 12 anos.

Verônica (Mauricio Farias,08) – *

Na Paisà.

Deixe um comentário

Arquivado em Filmes

Festival Final

Versão ainda mais rápida que o normal.

Les Amours d’Astree et Celadon (Eric Rohmer,07) – ****
A Mulher Sem Cabeça (Lucrecia Martel,08) – *

Na Paisà.

Leonora (Pablo Trapero,08) – ****
Segurando as Pontas (David Gordon Green,08) – ****

Certamente o filme mais divertido do festival.

Se Nada Mais Der Certo (José Eduardo Belmonte,08) – ****
Ninho Vazio (Daniel Burman,08) – **
Julia (Eric Zonca,08) – *

A idéia do Zonca de homenagem a Glória e a minha são bem diferentes.

Quatro Noites com Anna (Jerzy Skolimowski,08) – ****

Filme de mestre.

Na Guerra (Bertand Bonello,08) – ***

A primeira metade é genial.

Waltz with Bashir (Ari Folman,08) – ***

Na Paisà.

Alexandra (Alexandr Sokurov,07) – *

Sokurov mantém sua média comigo: ou os filmes são ótimos ou não me interessam em nada.

Cinzas do Passado Redux (Wong Kar-wai,95/08) – ****
Aquiles e a Tartaruga (Takeshi Kitano,08) – ***

O menor dos filmes da trilogia do suicídio artistico, mas a última parte é muito boa.

O Casamento de Raquel (Jonathan Demme,08) – ***
Romance (Guel Arraes,08) – *

Para a série o cineasta brasileiro vai ao psiquiatra.

Tokyo Sonata (Kiyoshi Kurosawa,08) – ******

Belissimo filme de “terror”.

Sad Vacation (Shinji Ayoama,07) – ****

Deixe um comentário

Arquivado em Filmes