Festival do Rio

Blind Detective, de Johnnie To e Wai Ka Fai

Blind Detective, de Johnnie To e Wai Ka Fai

A pedidos um post com recomendações para o Festival do Rio. Dividido em dois blocos. Os filmes já vistos vem acompanhado de asterisco. Resolvi excluir os filmes da Premiere Brasil já que ela funciona quase como um festival à parte.

Lista A
*O Ato de Matar, de Joshua Oppenheimer
Até que a loucura nos Separe, de Wang Bing
Bastardos, de Claire Denis
Blind Detective, de Johnnie To e Wai Ka Fai
Em Berkeley, de Frederick Wiseman
Um Estranho no Lago, de Alan Guiraudie
A Filha de Ninguem, de Hong Sang-soo
A Garota de Lugar Nenhum, de Jean-Claude Brisseau
*A Gatinha Esquisita, de Ramon Zürcher
O Imigrante, de James Gray
Night Moves, de Kelly Reichardt
Our Sunhi, de Hong Sang-soo
*Outrage Beyond, de Takeshi Kitano
Real, de Kiyoshi Kurosawa
Tip Top, de Serge Bozon
O Ultimo dos Injustos, de Claude Lanzmann

Lista B
Abuso de Vuneravel, de Catherine Breillat
Backwater, de Shinji Ayoama
*Behind the Candelabra, de Steven Soderbergh
Computer Chess, de Andrew Bujalski
O Conhecido Desconhecido, de Errol Morris
Corredor da Morte: Retratos, de Werner Herzog
A Dança da Realidade, de Alejandro Jodorowsky
A Estação de Rádio, Nicolas Philibert
Gerantophilia, de Bruce La Bruce
O Gigante Egoista, de Clio Barnard
A Imagem que Falta, de Rithy Pahn
Joe, de David Gordon Green
Jovem e Bela, de François Ozon
Lacrau, de João Vladimiro
Layla Fourie, de Pia Marais
Manuscritos Não Queimam, Mohammad Rasoulof
Meia Sombra, de Nicolas Wackerbarth
Nós Somos os Melhores, de Lukas Moodysson
Only Lovers Left Alive, de Jim Jamursch
Ouro, de Thomas Arslan
Porque Você não vai brincar no Inferno?, de Sion Sono
Quando a noite cai em Bucareste, Corneliu Paramboiu
Quando Eu Era Sombrio, de Matthw Porterfield
Sacro Gra, de Gianfranco Rosi
Sapi, de Brillante Mendoza
Sonhos Americanos na China, de Peter Chan
Sozinha, de Wang Bing
*Spring Breakers, de Harmony Korine
Terra Prometida, de Gus Van Sant
Vic + Flo viram um Urso, de Denis Coté
Vosso Ventre, de Brillante Mendoza

Resolvi excluir os filmes da Premiere Brasil já que ela funciona quase como um festival à parte. O Bressane estaria na Lista A e tem mais uns oito títulos que me interessam bastante (metade deles no Novos Rumos, quase inacessíveis, já que Festival desistiu de tentar programar a seção).

Também recomendo a retrospectiva de Alain Guiraudie que é um grande cineasta e a muito bem curada Mostra a Escola de Berlim que incluí um bom número de filmes fortes (meus favoritos:  Yella, Nas Sombras, Todos os Outros e Algo Melhor do que a Morte).

2 Comentários

Arquivado em Filmes, Programação

2 Respostas para “Festival do Rio

  1. filipefurtado,por que james gray é tão admirado assim nas rodas cinéfilas?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s