Moscou

Nem ia mencionar nada sobre o que o Escorel escreveu sobre o filme do Coutinho, porque bem é o Eduardo Escorel, mas lendo os posts do Jean-Claude Bernardet sobre o assunto não dá para deixar de observar que parte do pensamento de cinema no Brasil está mais de 40 anos atrasada no tempo.

6 Comentários

Arquivado em Crítica, Filmes, Observações

6 Respostas para “Moscou

  1. daniel

    Cadê meu crédito?

  2. Bruno Amato

    Pena que não assino Piaui, por enquanto to sem saber a perola do Escorel (Bernadet, há muito me decepcionei com ele e os posts dele só reforçaram isso).

    Em tempo, Inácio finalmente se rendeu ao Mann: http://inacio-a.blog.uol.com.br/

  3. Filipe Furtado

    Mas Daniel, se eu for dar credito para alguém é o Francis e sua batalha de um homem só contra o Jean-Claude.

  4. Bruno Amato

    Hehe é sempre diversão garantida ouvir o Francis falar do Bernardet…

  5. Concordo com seu texto Felipe, e acho que tanto o comentário do Escorel quanto do Bernadet querem ver em Moscou um outro filme e não aquele que o Coutinho fez. Fora isso, dão muito mais importância às declarações do Coutinho sobre os impasses e hesitações dele na hora de montar o filme do que ao filme que resultou desse impasse. Filme que não parece corresponder ao que Escorel e Bernadet esperavam. Só para fechar, o Inácio subiu um posto sobre o filme no blog dele. E como sempre muito mais aberto que os outros às novidades que o filme enseja.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s